Eustáquio e Paulo – A cegueira e o dragão

0
905

“Saulo levantou-se do chão e, abrindo os olhos, não conseguia ver nada. Por três dias ele esteve cego, não comeu nem bebeu.” Atos 9:8-9

“Tinha se transformado num dragão enquanto dormia. Ao dormir sobre o tesouro de um dragão, com pensamentos gananciosos, típicos de um dragão, ele próprio acabara se transformando em um dragão.” A Viagem do Peregrino da Alvorada, pág. 443

“Era uma vez um garoto chamado Eustáquio Clarêncio Mísero, e na verdade bem merecia esse nome. (…) adorava bancar o mandão e chatear os outros. (…) sabia que há muitas maneiras de aborrecer os outros. (…) era bestalhão demais para imaginar seja lá o que fosse.” A Viagem do Peregrino da Alvorada, pág. 403

Quem já não sentiu raiva do Mísero? Quem já não pensou: “Que garoto insuportável, não merecia ter ido para Nárnia”. Eu já pensei isso, hahahaha. Porém, todos aqui sabem da grande transformação pela qual Eustáquio passou e o que isso gerou como fruto na vida dele. O que eu quero falar aqui, todavia, é como um experiência sobrenatural tem o poder de uma grande mudança que dura o resto da vida.

Por vezes, achamos que fulano ou beltrano precisam ”mudar”, se tornar uma pessoa melhor, conhecer o bem ou então, que precisa de uma grande transformação para ”tomar jeito de gente”. Às vezes achamos que isso pode mudar a vida ou o jeito de alguém, mas tenho concluído que não funciona assim. Quase com certeza, posso concluir que o que realmente muda ou transforma uma pessoa e seu caráter, é uma experiência marcante com o ”sobrenatural”; vamos colocar o ”sobrenatural”, neste caso, como Aslam, e a pessoa necessitada de transformação ou mudança, como Eustáquio.

Eustáquio era um chato, soberbo, arrogante, mal educado, que fazia questão de chatear Lúcia e Edmundo e zombar dos primos quanto às histórias de Nárnia. Por fim, acabou embarcando no Peregrino, foi transformado em dragão, etc etc; todos conhecem a história. Quero levar você a pensar, todavia, que o que transformou Eustáquio não foi a ida à Nárnia, a convivência com os primos, com Caspian, com Ripchip ou mesmo com o ambiente narniano. O que transformou Eustáquio, não foi nem mesmo o seu período como dragão; o que mudou completamente o caráter e a vida dele, para sempre, foi seu encontro com Aslam.

Após ter conhecido Aslam e ter suas escamas arrancadas de forma dolorosa por ele, Eustáquio se tornou uma outra pessoa. Creio que não podemos dispensar o fator sofrimento, na vida dele; ter sido um dragão, um ”monstro”, com certeza contribuiu para que o coração de Eustáquio se quebrantasse e ele próprio começasse a rever suas atitudes para com os outros e enxergar seus defeitos. Porém, é inquestionável a incapacidade de Eustáquio de mudar a si mesmo por si só ou então, se livrar de sua pele de dragão com sua própria força; são coisas que estavam além do alcance dele. Quando, porém, Aslam chega, tudo muda, se transforma, como veremos no trecho seguinte:

“Assim, comecei a esfregar-me, e as escamas começaram a cair de todos os lados. Raspei ainda mais fundo e, em vez de caírem as escamas, começou a cair a pele toda, inteirinha, como depois de uma doença ou como a casca de uma banana. Num minuto, ou dois, fiquei sem pele. Estava lá no chão, meio repugnante. Era uma sensação maravilhosa. Comecei a descer à fonte para o banho. Quando ia enfiando os pés na água, vi que estavam rugosos e cheios de escamas como antes. “Está bem”, pensei, “estou vendo que tenho outra camada debaixo da primeira e também tenho de tirá-la”. Esfreguei-me de novo no chão e mais uma vez a pele se descolou e saiu; deixei-a então ao lado da outra e desci de novo para o banho. E aí aconteceu exatamente a mesma coisa. Pensava: Deus do céu! Quantas peles terei de despir?” Como estava louco para molhar a pata, esfreguei-me pela terceira vez e tirei uma terceira pele. Mas ao olhar-me na água vi que estava na mesma. Então o leão disse (mas não sei se falou): “Eu tiro a sua pele”. Tinha muito medo daquelas garras, mas, ao mesmo tempo, estava louco para ver-me livre daquilo. Por isso me deitei de costas e deixei que ele tirasse a minha pele. A primeira unhada que me deu foi tão funda que julguei ter me atingido o coração. E quando começou a tirar-me a pele senti a pior dor da minha vida. A única coisa que me fazia agüentar era o prazer de sentir que me tirava a pele. É como quem tira um espinho de um lugar dolorido. Dói pra valer, mas é bom ver o espinho sair.”  A Viagem do Peregrino da Alvorada, pág. 451

Aslam transformou Eustáquio. Não apenas fisicamente, mas de forma total. O poder do Leão alcançou o coração do menino de tal forma, que foi capaz de quebrar seu orgulho, destruir sua arrogância e torná-lo até mesmo um garoto ”legal”, que mais tarde veio a se tornar amigo de Nárnia*. O encontro de Eustáquio com Aslam, juntamente com o sofrimento em virtude de sua ”desdragonização”, mostrou ao menino não apenas o poder do Leão, mas sua incapacidade humana de mudar a si mesmo, a sua pequenez diante Daquele que é o que é e, apesar de tudo, revelou ao seu coração o imenso amor do Leão a ele que, mesmo fazendo-o passar pela dor, livrou-lhe daquilo que o incomodava e, posteriormente, efetuou não só a mudança externa, como a interna.

Podemos concluir certeiramente que foi Aslam que operou a grande mudança no garoto, e ninguém mais. Podemos nos lembrar de Edmundo também, que após ter tido uma longa conversa com o Leão, que ninguém ouviu, foi transformado completamente. É Aslam que muda, destrói os defeitos de caráter e tem o poder de transformar uma pessoa. Um ser humano por si só não consegue tais feitos, por mais que se esforce ao máximo; vai além de sua capacidade.

Na Bíblia, há um personagem que muito me faz pensar em Eustáquio por ter passado por uma mesma experiência dolorosa que teve o poder de efetuar uma considerável transformação: Paulo, ou apóstolo Paulo.

Antes de ser Paulo, porém, seu nome era Saulo, e ele era um grande perseguidor da Igreja; matava cristãos, perseguia-os ou jogava-os na prisão. Era um religioso, conhecedor das Escrituras Sagradas, mas não cria que Jesus Cristo era o Messias do povo judeu.

Certo dia, porém, ele conheceu Aquele a quem perseguia; Jesus Cristo apareceu a Saulo, como uma luz brilhante, falou com ele, deu algumas instruções sobre o que deveria fazer, porém o deixou cego. Depois de uns dias, ele recuperou a visão e se tornou um grande pregador do Evangelho.

“Enquanto isso, Saulo ainda respirava ameaças de morte contra os discípulos do Senhor. Dirigindo-se ao sumo sacerdote, pediu-lhe cartas para as sinagogas de Damasco, de maneira que, caso encontrasse ali homens ou mulheres que pertencessem ao Caminho, pudesse levá-los presos para Jerusalém. Em sua viagem, quando se aproximava de Damasco, de repente brilhou ao seu redor uma luz vinda do céu. Ele caiu por terra e ouviu uma voz que lhe dizia: “Saulo, Saulo, por que você me persegue? ” Saulo perguntou: “Quem és tu, Senhor? ” Ele respondeu: “Eu sou Jesus, a quem você persegue. Levante-se, entre na cidade; alguém lhe dirá o que você deve fazer”. Os homens que viajavam com Saulo pararam emudecidos; ouviam a voz mas não viam ninguém. Saulo levantou-se do chão e, abrindo os olhos, não conseguia ver nada. E eles o levaram pela mão até Damasco. Por três dias ele esteve cego, não comeu nem bebeu.” Atos 9:1-9

O que quero ressaltar é que, Saulo só foi transformado em uma outra pessoa, após ter tido uma experiência pessoal com o próprio Cristo. Não adiantava ninguém falar com ele, ou aconselhá-lo a ser uma pessoa melhor, nada disso podia resolver os problemas e a maldade que havia em seu coração. Só havia Um Único conhecedor de seu coração, com poder para quebrantar seu espírito e transformar de forma grandiosa o seu caráter, Jesus Cristo. E foi isso que aconteceu.

Percebemos, com isso, que Eustáquio e Paulo eram pessoas difíceis, com falhas de caráter notórias; pessoas difíceis de se conviver. Por mais que outras pessoas os suportassem ou tentassem ajudá-los, nada nem ninguém era capaz de torná-los pessoas melhores, que reconhecessem suas falhas e fossem mais fáceis de se conviver e até de gostar. Isso só aconteceu após ambos terem um encontro pessoal com um Poder Superior; Aslam para Eustáquio, Jesus Cristo para Paulo. Após terem uma experiência significativa com Ele, ambos foram mudados radicalmente e se tornaram grandes homens em seus meios de convivência.

Pode ser que você conheça alguém com uma personalidade parecida com a de Eustáquio ou Paulo, ou mesmo, pode ser que você seja alguém assim, uma pessoa difícil, orgulhosa, soberba, egoísta, mal educada… Todos nós temos defeitos e falhas em nosso caráter e, muitas vezes, obrigamos as pessoas ao nosso redor a nos aceitar como somos, a nos suportar, e por vezes, tornamos nossos relacionamentos complicados e feridos. Por vezes, magoamos pessoas que estão ao nosso redor em virtude de nosso temperamento difícil, de nossa personalidade forte, de nossos defeitos. Todos nós temos esses problemas. Mas lembre-se de uma coisa: provavelmente você não gostou de Eustáquio no começo de sua história. Provavelmente você o achou um chato e tudo o mais. Pode ser que alguém pense o mesmo de você, já pensou nisso? Pode ser que você seja o Eustáquio na vida de alguém. Lembre-se de outra coisa: assim como era difícil para Lúcia e Edmundo conviverem com Eustáquio, pode ser bem difícil para as pessoas ao se redor, conviver com você.

Pode ser também que você esteja na outra posição, convivendo com alguém difícil que não consegue ser uma pessoa melhor. Tudo isso é possível. Todavia, conforme vimos nessa reflexão, só há Um capaz de mudar não só o estado físico de alguém, mas transformar completamente um coração. Pode ser que você ou a pessoa difícil com quem convive, mude, após ter uma experiência com o Todo Poderoso.

É claro que há muitas coisas que estão ao nosso alcance, coisas que podemos mudar. Mas há coisas que fogem ao nosso controle humano. Coisas que só Ele pode efetuar. Pense nisso. Reflita sobre si mesmo, examine seu coração. Pode ser que você esteja precisando passar por uma experiência a sós com Ele para poder ver como tem sido sua trajetória.

Por fim, desejo trazer ao seu coração uma última coisa:

“Este homem é meu instrumento escolhido para levar o meu nome perante os gentios e seus reis, e perante o povo de Israel. Mostrarei a ele o quanto deve sofrer pelo meu nome”. Atos 9:15-16

“Coisas extraordinárias acontecem a pessoas extraordinárias.” Trecho do filme VPA, fala de Ripchip

Eustáquio e Paulo eram pessoas incrivelmente insuportáveis no começo, mas eram escolhidos. Eram especiais, eram extraordinários. Precisaram passar um momento doloroso para que pudessem alcançar seu total potencial. Guarde isso: você pode ser uma pessoa extraordinária, uma pessoa escolhida, que só precise de um ”empurrãozinho”, para revelar aquilo que tem de melhor e ser o que Ele quer que você seja.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here